sábado, 5 de junho de 2010

revisão...

Fazer revisão (de literatura) é algo em que me tornei expert… valham-me os académicos anos que passei a fazê-lo (e passo)… Hoje revi o conceito de solidão… não que me sinta assim! Mas tive necessidade de…
Hoje voltei a estar na mesma festa… hoje mais activa para mim! Bati o meu record de desenhos de borboletas… colori um pouco mais o cenário… e a solidão… a solidão estava pintada agora de outra cores e, na realidade… mudaram algumas coisas (viva a evolução!)…
O casal… agora separado… tem a máscara da separação feliz!...
A mulher…. Com o mesmo rosto… com o mesmo cuidado… com o mesmo olhar… com a mesma esperança… e ele? Ele ainda mais “enta”… e olhar que se cruzou “n” vezes… o mesmo olhar… e fresco! Muito fresco… tudo ainda mais!
Viúva para sempre… com o peso da separação de outros no rosto… e de preconceito…
A mesma mãe… que embora não espelhe a mesma tristeza… espelha uma esperança de algo inexistente… de sonhos que não se vão realizar… porque a filha ficou incapacitada de… qualquer coisa ainda sem explicação…

e... ainda mais crianças!

Eu???

Continuo a não ser mãe... (!!!!!!!!!)

O meu telemóvel tocou várias vezes com uma mensagem a dizer "gosto de ti"...
que aquilo que eu desejo, poderá ser aquilo que irei ter...
que provavelmente não terei de desistir do que sinto...
e continuo a ter muito mais... que tenho coisas muito boas que me suportam e não me deixam sozinha... e que tudo o que se passou foi (é!) só uma coisa má!...
E solidão?... conheço apenas o conceito…

Pi...


NOTA!

tudo isto porque há um ano escrevi:

"sempre achei que criar relações empáticas, ajudam-nos a superar os nossos "maus momentos"... com a noção de que há sempre alguém com mais problemas do que eu! sim! é um misto de inveja e egoísmo!

com isto ganhei a competência da observação. sou perita em observar pessoas nos seus contextos ecológicos. facilmente capto sinais, respostas... comportamentos não verbais... sim! tornei-me numa cusca!

depois... adoro dar significados ás coisas... e ultimamente tenho-me sentido só! sim! eu só! que vivo rodeada de pessoas... que tenho amigos (muitos e bons!)... e nem sequer parei um pouco para perceber que raio é isto da solidão!

pois bem... hoje tive um dia intenso... depois de achar que tenho o direito de ser intrusiva, estupidamente irritante... blá blá blá... depois de me ter arrependido e sentir que agora sim! talvez tenha sido tarde demais... e que já me tinha esticado o suficiente! (desculpa-me!!!) comecei a rever a situação...

neste momento de revisão, estava numa festa de aniversário, da minha prima que fez 5 anitos e comecei a achar-me ridícula de como é que eu, no meio de tanta gente me sentia sozinha! resolvi rever o conceito...

na mesma sala encontrei outras pessoas "sós"...

um casal! às portas de uma separação, que ainda não foi, porque existe filhos, dinheiro que um não tem para uma vida a sós, traições, frustrações... uma máscara para parecer bem... porque era dia de festa! duas pessoas a simular que estão juntas... solidão!

uma mulher... nova... gira! (agora mais!) com um olhar perdido na sala, entre a atenção dividida: pelos convidado, com um sorriso radiante (ou não!) e um "estou óptima e feliz!"...; pelo filho que espelha a alegria de ter ali os pais juntos mas que reflecte também a cara do homem que escolheu para casar, viver, ter filhos...; e o próprio homem, o (ex)marido, no auge dos seus "entas", ar fresco (e fofo!)e com "estou nem ai" no olhar... solidão!

um senhor... rodeado de crianças, sem a sua esposa (que ficou a descansar), com um olhar triste...muito! porque os unicos dois filhos, morreram em acidentes de viação! solidão!

uma viuva... que não teve mais ninguém na vida! que teve dois filhos... que vive deslumbrada com a vida de um... solidão!

uma mãe... que viu a filha a sair de casa... duas vezes! que tinha sonhos para ela... que se sente magoada triste abandonada pelas escolhas que ela fez... só que não sabe que a filha está melhor assim... solidão!

eu! algures nessa confusão de solidões... não sei se haveriam mais sozinhos! mas percebi que não sou mãe e por isso não vou perder um filho nem olhar para ele e ver o reflexo de ninguém... que não tenho uma relação com base em nada... porque já não tenho relação!...

que o meu telemovel não vai tocar com uma mensagem a dizer "gosto de ti"...
que aquilo que eu desejo, poderá ser aquilo que não irei ter...
que provavelmente terei de desistir do que sinto...
que eu tenho muito mais... que tenho coisas muito boas que me suportam e não me deixam sozinhas... e que tudo isto é só uma coisa má!

e que solidão não é de todo o que sinto!



*vou ouvir-te muito mais! a tua voz hoje ecoou na minha cabeça! eu sou forte! sei que sou! e vou conseguir mm que seja dificil! tirei a cera dos ouvidos!*


Pi! "

Sem comentários:

Publicar um comentário